Quando o rei da Inglaterra, decretou que pagar uma taxa por cada janela

Muitas leis chegam a ser tão excêntricas que são bastante curiosas. Te hoje falaremos de duas leis excêntricas na Inglaterra.
Rotten Borough
A expressão “rotten borough” foi usado pela Inglaterra no século XVIII e costuma ser traduzida por “burgos podres”. Há referência à votação, que se faziam nas cidades onde havia pouca gente, mas que, mesmo assim, tinham um representante político… como é que se faziam essas “escolhas”?

Tal como em muitos lugares, as pessoas tinham que ir para o lugar onde se fazia a votação. Mas se você fosse mulher não podia estar presente, também não podiam votar aqueles que não eram donos de uma propriedade. E se uma mulher era dona de uma propriedade? Mesmo assim, consideravam estranho e por isso não votaba.
Quem se podiam votar eles tinham que ter certeza de que o candidato era o filho do administrador das terras e então tinham que votar por essa pessoa. E se um não queria fazê-lo? Pois eu não tinha escolha, pois era o único candidato e, além disso, era o dever daquela pessoa, o acordo que já havia feito com o administrador das terras. Assim que o voto não era secreto, porque o dono de toda essa região deveria assegurar-se de que as pessoas cumprisse o acordo.

O imposto para cada janela de uma casa
Se você acha que isso foi injusto agora imagine pagar o ‘Windows tax”, ou o imposto sobre as janelas que Guilherme II impôs, em 1696, e que durou até 1851. Para não pagar esse tributo muitas pessoas bardearon suas janelas. Isso trouxe lamentáveis conseqüências, pois estudos médicos demonstraram que a falta de ventilação e de ar fresco incentivaram a propagação de inúmeras doenças, como a disenteria, a gangrena, e o tifo.
Curiosamente, este imposto foi copiado por outros países e, em 1858, Antonio López de Santa Anna foi instituído no México.